Terça, 25 de Junho de 2024 08:22
5192690447
Colunistas Economia

CEEE Equatorial Projeta Normalização do Atendimento para o Fim de Semana.

O presidente da distribuidora afirma que os prejuízos causados pelas chuvas devem ser calculados neste mês.

07/06/2024 10h45
Por: Paulo Negretto Fonte: Jornal do Comércio
Fonte: Jornal do Comércio - “Normalização CEEE” - Foto: Rafael Berthes / Divulgação
Fonte: Jornal do Comércio - “Normalização CEEE” - Foto: Rafael Berthes / Divulgação

A CEEE Equatorial, concessionária de energia elétrica que atende a maior parte do Rio Grande do Sul, projeta a normalização do fornecimento de energia para os cerca de 4 mil clientes que ainda estão sem luz em decorrência das enchentes que assolaram o estado no final de maio. A previsão do presidente da empresa, Riberto Barbanera, é que a situação seja regularizada até o final deste fim de semana.

No auge da crise, no dia 30 de maio, a CEEE Equatorial chegou a registrar 206 mil clientes sem energia, o que representava 12% da base de consumidores da empresa. Esse número foi diminuindo gradativamente à medida que as equipes trabalhavam para restabelecer o fornecimento nas áreas afetadas.

Investimentos e Ampliação da Mão de Obra:

As condições climáticas que se refletiram sobre o Rio Grande do Sul no final de 2023 evidenciaram a necessidade de investimentos na rede elétrica do estado. A CEEE Equatorial, que assumiu a concessão da CEEE em 2021, já destinou mais de R$ 2 bilhões para a modernização da infraestrutura. Para 2024, o orçamento prevê a aplicação de R$ 1 bilhão, com foco na qualidade do fornecimento de energia.

Para agilizar a execução das obras e atender às demandas emergenciais, a empresa está contratando novas equipes. A previsão é de que sejam contratadas mais 80 a 90 equipes, além das 120 a 130 já contratadas após o temporal de setembro de 2023. Cada equipe é composta por 3 a 7 profissionais, dependendo do tipo de serviço a ser realizado.

Investimentos para Maior Confiabilidade:

Os investimentos realizados pela CEEE Equatorial visam modernizar a rede elétrica do estado, tornando-a mais resistente a intempéries e garantindo um fornecimento de energia mais confiável aos clientes. As obras incluem a substituição de postes e cabos de energia elétrica, a instalação de novos equipamentos de proteção e a automação da rede.

Continua após a publicidade
Anúncio

Compromisso com a Qualidade do Serviço:

A CEEE Equatorial reafirma seu compromisso em oferecer um serviço de qualidade aos seus clientes. A empresa investe continuamente na modernização da rede elétrica e na capacitação de seus colaboradores para garantir um fornecimento de energia seguro e confiável.

Prejuízos e Recuperação:

A empresa de energia CEEE Equatorial ainda não tem um cálculo preciso do impacto financeiro das inundações recentes, mas estima que as perdas sejam consideráveis. Mais de 180 mil medidores de energia foram submersos e duas subestações ficaram completamente alagadas, causando um grande transtorno para os consumidores.

Apesar do cenário desafiador, a CEEE Equatorial já está trabalhando ativamente para mensurar os danos e buscar soluções para a recuperação da infraestrutura afetada. A empresa garante que está comprometida em encontrar soluções que não onerem a conta de luz dos consumidores.

Sede da Empresa Inundada:

As condições climáticas observadas em Porto Alegre nos últimos dias também causaram transtornos à CEEE Equatorial. A sede da empresa, localizada no bairro Humaitá, foi inundada, o que impossibilitou o trabalho presencial dos funcionários administrativos.

Em comunicado oficial, a CEEE Equatorial informou que, como medida preventiva, os colaboradores administrativos estão trabalhando em regime remoto desde [data da inundação]. A empresa já está buscando um local alternativo para instalar as equipes presenciais o mais breve possível.

Ainda não há definição sobre uma mudança definitiva da sede para outro local. A CEEE Equatorial ressalta que a prioridade no momento é garantir a segurança dos seus colaboradores e o bom atendimento aos seus clientes.

Entrevista Realizada por Jeferson Klein (Repórter) > Jornal do Comércio, com o Sr. Ribeiro Barbanera > Presidente da CEEE Equatorial:

JC - Antes das enchentes, a empresa já havia anunciado a necessidade de investimento para qualificar o fornecimento de energia. Como ficará essa questão a partir de agora?

Barbanera - A gente pegou uma empresa com um ativo bastante degradado, deteriorado, e tem que fazer muito investimento para poder resgatar esse ativo e colocá-lo em uma condição adequada de operação. A gente fez alguma coisa, mas muito aquém daquilo que precisava ser feito, porque a atividade de execução dessas obras concorreu com os atendimentos emergenciais, obviamente. Com o deslocamento de todas equipes para atender a emergências, a gente acabou retardando a realização desse plano de obras estruturantes, que esperamos a partir de segunda-feira retornar.

JC - Para atender às demandas de serviços apresentadas, a companhia terá que aumentar o número de pessoal?

Barbanera - Embora a gente tenha em janeiro ampliado equipes, estamos agora discutindo uma nova ampliação em cima daquela, porque com maior força de trabalho é maior a capacidade de execução e se abrevia o tempo de realização de obras.

JC - Já aumentou em quanto a mão de obra e qual a estimativa do próximo incremento?

Barbanera - Após o temporal que teve em setembro (de 2023), nós aumentamos aproximadamente 120, 130 equipes. Agora, estamos fazendo uma conta e falando em mais cerca de 80 a 90 equipes para recuperar esse cronograma de obras, vamos dizer assim.

JC - Cada equipe possui quantos profissionais?

Barbanera - A gente tem diversos tipos de equipes. Se eu falar de uma equipe de linha viva (energizada), normalmente se trabalha com três a quatro eletricistas. Se a gente fala de uma equipe de emergência, que é essa que no dia a dia atende às ocorrências com as caminhonetes, são três eletricistas. E as equipes que chamamos de pesadas, que são aquelas de construção efetiva, de postes e lançamentos de cabos, normalmente são constituídas de seis ou sete pessoas.

JC - Esse novo pessoal contratado, será próprio ou terceirizado?

Barbanera - Esse adicional que estamos colocando é tudo terceirizado.

JC - Qual o investimento já feito desde que o Grupo Equatorial assumiu a concessão da CEEE e qual a projeção para este ano?

Barbanera - Desde que a gente chegou aqui em 2021, até o primeiro trimestre de 2024, estamos falando um pouco mais de R$ 2 bilhões. A CEEE precisa de investimentos muito maiores ainda, então a gente segue investindo. O nosso orçamento de 2024 é algo em torno de R$ 1 bilhão. O maior volume de recursos está associado, sem dúvida, à questão da qualidade (de fornecimento). Os R$ 2 bilhões que falamos, foi investido fortemente em linhas de alta tensão e para aumentar a capacidade de subestações. Quando chegamos em 2021, cerca de 70% dos transformadores das subestações estavam com sobrecarga.

JC - A CEEE Equatorial já tem a estimativa de qual foi o prejuízo da empresa com as enchentes?

Barbanera - A gente está calculando esse número. Essa é uma solicitação que o próprio Ministério de Minas e Energia nos demandou, não só para nós, mas para as concessionárias aqui do Estado, a RGE e as cooperativas, que são as permissionárias de energia. O ministério está sensível a isso, a Aneel está sensível, entendendo o que está acontecendo. A gente faz duas reuniões por semana de acompanhamento, com a participação da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema).

JC - E já se tem alguma ideia dos impactos?

Barbanera - Por exemplo, tivemos mais de 180 mil medidores de energia elétrica que ficaram submersos. A hora que a água baixou a energia voltou para o cliente, mas o medidor eletrônico, por dentro, danificou. Então, nós temos a expectativa de uma troca de um grande número de medidores. Além disso, teve duas subestações que ficaram plenamente alagadas, as subestações Porto Alegre 2 e 7. Esse cálculo do tamanho do prejuízo, dos ativos que foram comprometidos, faremos ao longo deste mês de junho.

JC - E como fazer a recuperação desses danos sem onerar demasiadamente a conta de luz ou prejudicar a situação financeira da companhia?

Barbanera - Tem algumas formas que a gente está olhando, o Ministério de Minas e Energia está responsável por isso. Há a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE – encargo do setor elétrico que promove o desenvolvimento desse segmento), tem aportes que o governo pode fazer, tem algumas soluções que estão na mesa para avaliação. Tão logo a gente consiga mensurar isso tudo, o próximo passo é exatamente olhar para as opções que se tem e definir a que seja melhor para preservar o interesse de todos, da melhor maneira possível.

JC - A água chegou a atingir a sede da CEEE Equatorial no bairro Humaitá, em Porto Alegre?

Barbanera - Não só chegou como inundou e submergiu a nossa sede. Os nossos colaboradores administrativos estão em casa, atuando à distância, remotamente. Nós alugamos um espaço temporário de coworking no bairro Moinhos de Vento, onde está instalado o primeiro grupo de comando da hierarquia da empresa. A gente teve um prejuízo bem grande na sede, inclusive com veículos que ficaram submersos também. Estamos em um esforço paralelo para viabilizar um local alternativo, porque queremos trazer as pessoas de volta para o presencial. Na sede não é possível em curto prazo.

JC - É uma possibilidade que a sede da empresa, futuramente, mude de local?

Barbanera - A gente vai avaliar tudo e daí tomar a melhor decisão.

A CEEE Equatorial está trabalhando para restabelecer o fornecimento de energia o mais rápido possível e investir na modernização da infraestrutura para evitar que novos transtornos aconteçam no futuro. A empresa também está buscando soluções para recuperar os danos causados pelas enchentes sem onerar a conta de luz dos consumidores.

Recomendações:

  • Acompanhe as notícias sobre a situação da CEEE Equatorial nos canais oficiais da empresa.

  • Se você foi afetado pelas inundações, entre em contato com a CEEE Equatorial para obter mais informações sobre como ter seu serviço de energia restabelecido.

  • Conserve energia sempre que possível, especialmente neste momento em que a empresa está trabalhando para recuperar sua infraestrutura.

Informações Adicionais:

  • A CEEE Equatorial é uma das maiores empresas de energia do Brasil, com atuação em distribuição, geração e comercialização de energia elétrica.

  • A empresa atende a mais de 10 milhões de clientes em 199 municípios do Rio Grande do Sul.

  • As inundações atingiram diversas regiões do estado, causando danos à infraestrutura e prejuízos para a população.

  • A empresa está tomando todas as medidas necessárias para minimizar os impactos da inundação na operação.

  • A CEEE Equatorial mantém o monitoramento da situação e informará novos comunicados caso haja necessidade.

Redação: Colunista Paulo Negretto

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
PauloHá 3 semanas Caxias do Sul / RSEstou confiante que os serviços prestados pela CEEE Equatorial serão normalizados com brevidade. Conforme às informações colhidas neste artigo, a empresa está trabalhando intensamente para resolver os problemas recentes e restaurar o fornecimento de energia elétrica aos clientes afetados pelas chuvas e enchentes observadas no estado do Rio Grande do Sul, nos últimos meses.
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.