Domingo, 14 de Julho de 2024 14:52
5192690447
Mundo Argentina

Frio causa mortes na capital Argentina.

Frio extremo e crise social em Buenos Aires causam diversas mortes.

10/07/2024 23h08 Atualizada há 4 dias
Por: Redação Fonte: Met Sul
Foto: Uol São Paulo " Moradores de rua ".
Foto: Uol São Paulo " Moradores de rua ".

Em meio a uma grave crise social, com metade da população vivendo em estado de pobreza, a Argentina enfrenta agora um frio extremo que se soma aos desafios da sociedade e causa mortes entre a crescente população de rua. Somente neste mês, o número de mortos pelo frio na cidade de Buenos Aires subiu para cinco, após um morador de rua ser encontrado sem vida na terça-feira, a poucos quarteirões do Congresso.

“Lamentamos comunicar a morte de mais uma pessoa. Um homem de aproximadamente 50 anos, sem documentação, foi encontrado por policiais na Avenida Callao sem sinais visíveis de violência em seu corpo”, informou a organização social Proyecto 7. O frio fez vítimas entre moradores de rua também nos bairros de Once, Palermo e Retiro.

A organização "Amigos en el Camino", que auxilia moradores de rua, divulgou um comunicado relatando as mortes. “Frio e indiferença matam, é tão doloroso saber que essas mortes poderiam ter sido evitadas”, desabafou a organização em suas redes sociais.

Diante do frio extremo, diferentes organizações sociais lançaram programas de assistência de emergência, incluindo Assembleias de Moradores, Amigos en el Camino, Proyecto 7 e Adolfo Pérez Esquivel. Mesmo assim, multiplicam-se as ações de solidariedade nos bairros, oferecendo comida quente e roupas para as pessoas em situação de vulnerabilidade.

Meios de imprensa da Argentina relatam vítimas fatais do frio também em cidades do interior da província de Buenos Aires e outras regiões do país. Um morador de rua foi confirmado como vítima do frio em Mar del Plata, e houve mortes devido às baixas temperaturas na Patagônia.

Continua após a publicidade
Anúncio

Na terça-feira, Buenos Aires registrou sua menor temperatura em 14 anos e a segunda marca negativa neste mês, com -1,5ºC, a menor desde 17 de julho de 2010, quando a mínima foi -1,7ºC. A capital argentina não anotava mínima negativa desde 2011 e, em poucos dias, teve dois dias abaixo de zero. No interior, a cidade de Gualeguaychú, na província de Entre Ríos, com dados desde 1931, registrou um recorde absoluto de mínima com -7,6ºC na terça-feira, superando o recorde anterior de -7,0ºC de 23 de junho de 1945 e 14 de junho de 1967.Informações da Met Sul.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.